Swingers do Brasil
Assine o SB

Como levar uma mulher a implorar por sexo anal

Como levar uma mulher a implorar por sexo anal

O sexo anal ganhou uma imagem um tanto polêmica , mas não deveria ser assim. O ânus é somente mais uma zona erógena do corpo. Só que hoje ele é visto como um objeto de conquista pelos homens.

Por favor, senhores, vamos além!

Tente não olhar para o sexo anal sob a ótica do fetiche. Considere essa atividade algo tão natural quando beijar seios ou lamber vagina. Não bitole na penetração profunda e viril dos filmes pornôs, porque cú não é vagina. A funcionalidade da porta de trás é diferente da funcionalidade da porta da frente.

Possível que algumas mulheres tenham receio do sexo anal somente por conta da falta de sensibilidade de muitos de nós, que querem apenas colocar o pinto la atrás e ficar bombando.

Como falei – e se fala mundo afora -, o ânus é uma zona erógena do corpo por conter diversas terminações nervosas. Isso é fato! Se sua mulher não curte uma exploração traseira, o que a está travando, portanto, não é uma questão física, mas uma questão psicológica.

Logo, esse jogo pode mudar tranquilamente se você souber jogá-lo.

Seja um explorador do corpo da sua parceira, observando suas reações e conversando com ela, e descobrirá como brincar com essa opção tão desejada. E o melhor: não apenas com o consentimento, mas com o desejo dela. Se você fizer as coisas direito, provável que ela passe a te pedir estimulação anal.

Então vamos a um passo a passo que possivelmente vai levá-la a curtir esse sexo.

#1 COMEÇAR COMO QUEM NÃO QUER NADA

A primeira coisa a se fazer é identificar qual a relação que a mulher que está com você tem com sexo anal. Se ela for mais tranqüila, esse primeiro passo nem será necessário. Se ela for mais travada, será.

Se a mulher for sua companheira (namorada, noiva, mulher) e você sabe que ela não tem lá muita disposição para fazer isso, a idéia é que com o tempo você a leve a compreender que estimulação anal não é nada demais. E de forma inconsciente.

Para isso, passe, nos momentos de intimidade, a explorar todo o corpo dela! Nunca beijou muito suas orelhas? Beije. Nunca ganhou tempo nas coxas? Ganhe! Estimule todo o corpo, assim, quando você chegar lá, será apenas mais uma parte.

Quando for a hora de explorar o ânus, faça com muita delicadeza e da maneira menos intrusiva possível. Procure estimular a região de leve nos momentos em que estiver dando atenção à vagina.

Por exemplo, se você estiver com as mãos em sua intimidade, num momento em que ela estiver muito excitada leve os dedos um pouco mais abaixo, até chegar próximo ao ânus. Se estiver chupando-a, quando ela estiver louca leve a língua levemente naquela região como quem não quer nada. Tipo um esbarrão.

Se a moça for muito travada nesse aspecto, um simples esbarrão é suficiente para a primeira explorada. Aí nas próximas vezes esbarre de novo e, sentindo-a, vai expandindo a exploração.

É essencial que ela esteja bem excitada quando você for esbarrar no ânus. O tesão faz com que as barreiras morais que criamos se dissolvem momentaneamente, o que será um auxílio nesse momento.

Importantíssimo: a idéia não é enganar a mulher! De forma alguma. Você não quer fazer algo sem seu consentimento. Pelo contrário, a idéia é respeitar suas limitações.

Seja delicado para que ela, com uma estimulação não intrusiva, perceba que o ânus é um ponto erógeno e que a estimulação lá é gostosa. Se você falar para ela que vai acariciar a região, bem possível que rejeite, por isso a opção por essa forma mais disfarçada. Se você for suave e num momento de muita excitação, ela certamente vai gostar do carinho.

Se não gostar, não invada seu espaço. Respeite-a.

#2 EXPANDINDO A EXPLORAÇÃO

Depois que ela perceber que os esbarrões não foram por acaso, duas coisas podem acontecer: ela pode travar mais ou permitir que o jogo continue. Se ela travar, comunicando verbalmente que não está afim, a melhor coisa é conversar, tentar mostrar que não tem nada demais sexo anal. Se ela continuar não querendo, então é melhor esperar situação mais propícia no futuro.

Mas se você for bem delicado, possivelmente ela vai gostar da coisa porque você não estará pulando etapas – estará acompanhando seu ritmo de aceitação. Quando perceber que seu dedo e/ou sua língua já são aceitos por lá, comece a estimular a região com mais presença. Não precisa mais disfarçar.

Aqui, contudo, é preciso tomar muito cuidado. Possível que ela ainda esteja vulnerável com a situação, começando a ganhar confiança nessa possibilidade de prazer. Então se você for um pouco mais além do que ela gostaria, pode ser que coloque tudo a perder.

Sem pressa, senhores! Não precisa fazer tudo numa mesma transa. Pelo contrário: vai conquistando a parceira durante várias transas.

Se ela já aceitou sua presença por lá, comece a estimular o ânus por fora, sem introduzir dedos e sempre com estimulação simultânea em outra parte do corpo, de preferência o clitóris. Assim, além do prazer na própria região, ela vai começar a associar outros prazeres com as caricias atrás.

Em termos de sensação física, aqui está todo o segredo, pois os nervos do ânus se encontrar no orifício e não no canal que se alinha para dentro. Portanto, dedique-se bem nessa parte.

#3 PENETRANDO

Ok, agora ela já está aceitando ser tocada por ali. Está entendendo que o ânus é zona erógena e que não há problema algum em adicionar essa possibilidade ao repertório sexual.

Da próxima vez, portanto, procure penetrar de leve seu dedo. Para isso, taque lubrificação! É importantíssimo que ela não sinta nenhuma fricção incômoda durante esse ato. Seu dedo tem que escorregar para dentro, como na vagina. E não vá fundo – fique na altura da superfície e utilize movimentos lentos, aumentando a velocidade se sentir que tem que ser.

Você também pode utilizar os mais variados brinquedos sexuais para explorar a penetração.

Lembre-se de sempre estiumular a vagina dela quando brincar com o ânus. Assim ela vai associando a porta de trás ao prazer!

#4 UTILIZANDO O SEU PINTO

Depois que ela passou a aceitar a estimulação no ânus, o jogo já está ganho – a não ser que você faça alguma besteira tremenda que a deixe insegura novamente. Agora é só esperar pelo tempo dela. E isso pode demorar muito mais do que você gostaria. Mas é preciso respeitá-la.

Se as coisas estiverem indo como devem, possível que ela própria peça que você a penetre com o pinto. Todos os tabus já foram quebrados com essa paciente caminhada e ela está aproveitando os prazeres do estímulo anal. Então a curiosidade vai surgir e a mulher estará segura com a atenção que você seu durante todo esse tempo.

Se o convite não surgir, então sugira você a penetração em momento que achar mais adequado. E quando rolar, mais uma vez: taquel lubrificação.

Aqui é importante ter bastante sensibilidade. Seu pinto é bem mais grosso do que seu dedo, então será uma estimulação diferente da que ela estava se acostumando. A idéia é deixar que ela dite o ritmo. Encontre uma posição que seja confortável para a mulher e deixe ela se movimentar. Se a posição favorecer que você se movimente, faça isso, mas se comunicando com ela para ver como a parceira se sente.

Depois disso, vai do gosto dela. Algumas mulheres gostam que a estimulação fique apenas a nível superficial, outras gostam que vá mais fundo. Tem quem goste mais rápido e mais lento. Enfim, aí é questão de conversar com a mulher.

Só nunca perca a sua capacidade de percebê-la. Jamais vá além do que você sentir que ela gostaria. O sexo anal pode ser muito doloroso para elas se fizermos algum movimento mais brusco durante a empolgação. Não deixe isso acontecer, caso contrário todo o trabalho psicológico pode se perder.

Por fim, depois de introduzir dedos, brinquedos ou pinto no ânus, não leve-os à vagina. Se você o fizer, pode causar problemas desagradáveis para a mulher, uma vez que o ânus é região com presença de diversas bactérias. Troque a camisinha, lave brinquedos e dedos para brincar na porta da frente, beleza?

Se você fizer as coisas de maneira adequada, com tranqüilidade, sem assustar a mulher, provavelmente ela vai aceitar suas propostas e começar a curtir a brincadeira. E vai curtir tanto que em pouco tempo talvez não seja nem você que esteja propondo sexo anal, mas ela.

Agora vá e use toda sua sensibilidade para introduzi-la ao mundo do sexo anal.

Comentários:
Crie seu perfil para comentar esse artigo.
Voltar a página anterior

Sobre Sobre
Apresentação do Swing
Torne-se um Parceiro Swing
Fale Conosco

Conteúdo exclusivo Conteúdo Swing exclusivo
Anúncios Swing
Vídeo Conferência
Meu Perfil Swing

Swing Brasil | Swingers do Brasil - www.swing.com.br 2017
swing . swing brasil . swingers . site de swing . troca de casais

Cadastre-se

 

Assinantes